sexta-feira, 26 de maio de 2017

Menina que levou golpes de terçado após se negar a fazer sexo recebe assistência da Secretaria da Mulher

Equipe de psicólogo e assistente social estão acompanhando caso, segundo secretário. Caso ocorreu na segunda (22) na zona rural de Sena Madureira, interior do Acre.

A meninda de 10 anos que levou vários golpes de terçado após se negar a fazer sexo com um homem está recebendo assistente da Secretaria de Políticas Públicas paras as Mulheres. A secretária da pasta, Concita Maia, informou que a equipe multidiciplinar do órgão, com uma psicóloga e assistente social, está acompanhando o caso.

O crime ocorreu na madrugada de segunda-feira (22) no Ramal do 25, localidade conhecida como Cassirian, na zona rural da cidade de Sena Madureira, interior do estado. O suspeito foi preso horas após o crime. A menina chegou a ficar internada no Hospital João Câncio Fernandes e recebeu alta médica nesta quarta (24).

“A nossa assistência foi no sentido de encaminhar a equipe multidiciplinar para fazer abordagem tanto da menor e também dos seus familiares. Inclusive o pai dela foi atingido também pelos golpes e a mãe está em um estado emocional bastante alterado”, afirmou a secretária.

A equipe elaborou relatórios que incluíram a situação econômica da família. Segundo a secretária, a família vivia em uma fazenda onde o pai da menina trabalhava como caseiro e eles não têm para onde ir.

Concita afirmou que a secretaria, através de parceria com a Secretaria de Pequenos Negócios, deve dar auxílio para que a família tenha uma renda.

“Para nós é uma questão de cumprimento do nosso dever. Nossa alma também sangra quando qualquer mulher, seja adolescente, menor ou idosa, sofre violência. Mexeu com uma, mexeu com todas. Estamos fazendo todas as abordagens possíveis para garantir a integridade psicológica e física da menor e consequentemente a integridade social e econômica da família como um todo”, concluiu.

'Me sinto culpada', diz mãe
Ainda muito abalada, a mãe da menina conversou com o G1 nesta quinta-feira (25). A dona de casa, que preferiu não ter o nome divulgado, contou que se sente culpada pelo que ocorreu com a filha.

“Me sinto muito culpada por tudo que aconteceu, porque acho que tinha que ter prestado mais atenção. No momento que ele chegou para pedir para dormir lá em casa, era para eu ter expulsado, mas como era amigo, eu disse que podia. Eu nunca imaginava que ele pudesse fazer uma coisa dessa”, contou a mãe.

Relação com o suspeito
A dona de casa contou que a relação com o suspeito era de amizade. Segundo ela, Alessandro Nunes Rodrigues, de 36 anos, morava em Sena Madureira, mas ia sempre à fazenda do pai, que fica no mesmo ramal da família e, por isso, estavam sempre juntos.

“Ele era vizinho de comer na mesa com a gente, de sempre estar lá em casa. A gente sempre estava junto. Nunca percebi nada dele. Só uma vez surgiu um comentário de que ele estava no ramal dizendo que estava apaixonado por ela e que estava só esperando ela crescer mais um pouco para poder pegar. Quando soube disso, eu chamei ele e falei que não era para estar falando isso, ele pediu desculpas e disse que era mentira das pessoas”, afirmou a mãe.
Por Iryá Rodrigues, G1 AC, Rio Branco

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Polícia Militar do Acre celebra 101 anos de dedicação à sociedade

Corporação foi nomeada PMAC, em 1963, com a promulgação da primeira Constituição Estadual (Foto: Autor desconhecido/Arquivo IBGE)
Oriunda das antigas Companhias Regionais de Polícia, instituídas pelo governo federal em 25 de maio, no ano 1916, a Polícia Militar do Estado do Acre (PMAC), popularmente conhecida como “Briosa”, completa 101 anos de fundação nesta quinta-feira, dia 25.

A história oficial consta que, de 1904 a 1916, a segurança pública do Território Acreano era exercida pelo Exército Brasileiro. Em 25 de maio de 1916, o Governo Federal através do decreto n° 12.077, criou as Companhias Regionais, com o objetivo de manter a ordem pública em cada Departamento, inclusive do então recém-criado Alto/Tarauacá. As Companhias Regionais são consideradas como o embrião que deu origem à Polícia Militar de hoje, por isso se comemora o aniversário da PMAC no dia 25 de maio.

Ao longo desses 101 anos, os militares não apenas se limitaram à realização do policiamento ostensivo nas ruas. Desde o início de sua fundação, a PMAC auxilia diretamente a população acreana com seus projetos. No século passado, realizavam inúmeros serviços básicos como a manutenção e pintura de prédios públicos, além da manutenção de vias.

“Os policiais militares, naquela época, auxiliaram na construção da cidade de Rio Branco. Quando não estavam trabalhando na atividade-fim, ajudavam na construção civil de vários prédios e ruas da nossa capital. Como podemos perceber, em toda a sua história, a atividade policial militar nunca se restringiu apenas ao policiamento, somos de fato guardiões do Estado do Acre e nos sentimos ainda mais fortalecidos enquanto instituição nesses 101 anos”, explica o comandante-geral da PMAC, coronel Júlio Cesar dos Santos.

Ações sociais voltadas à prevenção

Hoje, são inúmeras ações sociais que contribuem com a formação cívica, ressocialização, conscientização e inclusão social de crianças, adolescentes e famílias que residem em regiões periféricas do estado.

O Proerd, por exemplo, é o principal programa de inserção social da corporação e desde a sua criação já formou mais de 152 mil alunos em todo estado. O projeto já existe há mais de 18 anos e já faz parte do cotidiano das escolas públicas e particulares de ensino infantil e fundamental do Acre.
Proerd já formou mais de 152 mil crianças e adolescentes em todo o Acre (Foto: Assessoria PMAC)
“Sempre trabalhamos na prevenção aos crimes e contamos para isso com vários programas de caráter social que são executados pela instituição. Exemplo disso, temos: O Programa Educacional de Resistência às Drogas à Violência (Proerd), Guarda Mirim, Policiamento Escolar e Banda de Música Mirim que realizam um trabalho fundamental para a Segurança Pública do Estado e em prol da sociedade acreana”, frisou o comandante-geral da PMAC, coronel Júlio Cesar dos Santos.
101 anos, muitas histórias

Um dos militares mais antigos ainda em atividade, José Balica, ingressou como soldado em 1982 nas fileiras da corporação. Hoje, recém-promovido ao posto de tenente-coronel, ele define os seus 35 anos de vida na Briosa como “período de grandes transformações” no decorrer de sua carreira.

“Cheguei aqui, na PM, em uma época bem diferente: as condições eram escassas e a escala de serviço era desumana, 24 por 24. Vivíamos os resquícios da ditadura militar. Hoje graças à informatização, aos investimentos em logística e à nova forma de conduzir as instituições militares auxiliaram nas consideráveis evoluções que tivemos aqui na instituição”, destacou.

Ao longo de sua vida na PMAC, José Balica que passou por todas as graduações e, atualmente, está no penúltimo posto do oficialato, conta que o pré-requisito para ingressar na corporação é ter disposição para trabalhar e realmente querer ser policial militar.

“A atividade na corporação sempre foi para aqueles que realmente querem servir à sociedade. Sou o mais antigo na instituição e posso dizer, com propriedade, que a PM é e sempre foi extremamente importante para o estado, por sua função e pelas demais situações em que é mobilizada”, disse.
Agencia.ac.gov.br

Advogado viaja pela BR-364 de Tarauacá a Rio Branco e registra atoleiros e pontos em desmoronamento

É preciso coragem para trafegar pela BR-364, no trecho que liga Sena Madureira a Cruzeiro do Sul. Como definiu o deputado Luiz Gonzaga (PSDB), na sessão desta terça-feira, 24, a rodovia é um “ramal mal cuidado e que não tem manutenção”.

O advogado Thiago Poesrch vivenciou esse descaso nesta terça-feira, 23, quando saiu de carro de Tarauacá para Rio Branco pela estrada. Foram 11 horas percorrendo menos de 400 km sobre uma rodovia totalmente esburacada com vários pontos em desmoronamento e atoleiros.

“Ontem fiz o trajeto Tarauacá-Rio Branco e pude constatar o atual estado da BR-364. Levamos exatas 11h de de viagem para percorrer menos de 400km”, conta o advogado.

Thiago fez vídeos e publicou fotos de veículos atolados na estrada. As imagens são o retrato de uma rodovia que literalmente derrete e isso depois de dois bilhões de investimentos.

O Dnit, que prometeu um serviço emergencial de R$ 200 milhões no final do ano passado, conforme lembraram alguns deputados na Aleac, não cumpriu a promessa e o acesso pela rodovia fica a cada dia mais difícil.
Por: Luciano Tavares, da redação ac24horas

Repasses do ICMS para prefeitura passou de R$ 500 mil em abril

A Secretaria de Fazenda informou nesta terça-feira, 23, os valores do repasse de abril do Imposto Sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) aos municípios do Acre.

Rio Branco, com R$11 milhões, recebeu a maior fatia dos mais de R$20 milhões do repasse que leva em conta valores do IPVA e do Fundeb além do ICMS. Acrelândia ficou com o menor repasse: R$51.654,58.

Veja quanto levou cada prefeitura:

Com informações do AC24Horas

Câmara Municipal de Tarauacá promove uma Moção de Aplausos ao Promotor de Justiça, Luiz Henrique Rolin

A Câmara Municipal de Tarauacá promoveu durante a Sessão ordinária desta quarta-feira, 24, uma homenagem ao Promotor de Justiça, Luiz Henrique Rolin, através de uma Moção de Aplausos e Agradecimentos de autoria da vereadora Janaína Furtado (REDE), em reconhecimento à atuação do promotor no município.

“Trata-se de reconhecimento justo e oportuno em razão de que tais ações possibilitam aproximar o Judiciário dos jurisdicionados, ao mesmo tempo que propõe a resolução dos seus conflitos jurídicos com maior celeridade em trabalho social em prol da comunidade Tarauacaense”, justificou a vereadora Janaína Furtado (REDE), autora da homenagem.

Janaína lembrou ainda que, o papel do promotor como membro do ministério público atuando com competência para resguardar o interesse público, acima de qualquer outro interesse, e que sua atuação em Tarauacá foi fundamental para a garantia dos direitos individuais e coletivos dos cidadãos Tarauacaenses. “Lamento profundamente a saída do Dr. Luiz Henrique da comarca de Tarauacá, pois sei que certamente sua atuação fará falta, mas lembrou que tal mudança deve ser respeitada“, disse.

Na oportunidade, o Promotor de Justiça agradeceu a homenagem e ressaltou a atuação do Ministério Público de Tarauacá. “Procurei exercer da forma mais ponderada minhas atribuições neste período, na Comarca de Tarauacá. Acredito que o Ministério Público moderno deve intermediar conflitos, evitando sobrecarregar o Poder Judiciário. É fundamental estar sempre disposto ao diálogo e buscar o aperfeiçoamento de todas as instituições públicas“.
Assecom Câmara de Tarauacá