sábado, 23 de maio de 2015

Ilustres do PCdoB do Acre não terão legenda para eleições em 2016

Cabeças vão rolar no PCdoB

A foice, um dos símbolos do PCdoB, não ficará só como uma logomarca, mas será usada para degolar filiados infiéis ilustres. Está em fase final o processo de expulsão do prefeito de Capixaba, o folclórico Vareda (PCdoB) e do vice-prefeito de Rodrigues Alves, Jailson Amorim (PCdoB), que na eleição passada apoiaram candidatos de outros partidos. Vareda apoiou o deputado Eber Machado (PSDC) e Jailson o deputado Josa da Farmácia (PTN). Serão chamados para ouvir a decisão: – vocês não terão legenda para serem candidatos a nada pelo PCdoB.
Porta na caraVão bater com a porta na cara quem pretender manobras para tirar o ex- deputado Luiz Tchê da presidência regional do PDT. Tchê é muito próximo do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, com que além da amizade, goza de prestígio político. Esqueçam derrubar o Tchê. É muito forte.
Fica registrada a versãoO secretário de Habitação, Jamil Asfury, negou ontem autoritarismo ao não receber o líder do PT, deputado Lourival Marques (PT), em sua secretária. Explicou à coluna que no momento do pedido do encontro tinha um compromisso agendado. Fica assim a sua versão. E ponto final.
Ou migram ou vão para o suicídioAcabando a coligação proporcional os deputados federais Alan Rick (PRB) e César Messias (PSB) terão que se abrigar em partidos como o PT, se eles quiserem disputar a reeleição. Ou então enfrentar a difícil missão de montarem uma chapa própria para Federal em seus partidos.
Cobertos de razãoO ex-deputado federal Márcio Bittar (PSDB) e o senador Sérgio Petecão (PSD) estão com razão em estar furiosos com o senador Gladson Cameli (PP) por ter detonado a “CPI da BR-364”. Principalmente o Petecão, que jogou pesado para o deputado Jairo Carvalho (PSD) assinar. Ou alguém ousa imaginar que o Nicolau Junior (PP), cunhado do Gladson, teria tirado a sua assinatura sem o aval do senador Gladson Cameli (PP)?. Só um ingênuo pode pensar contrário.
Este foi o problema
O maior problema foi o deputado Luiz Gonzaga (PSDB) ter montado uma CPI para chamar de sua, surfar politicamente, sem atentar que traria para o olho do furacão pessoas ilustres da oposição. Em política não se dá um passo sem medir as conseqüências do ato praticado.
Leila, a destrambelhada
Se a deputada Leila Galvão (PT) fosse uma Maria Mané, despreparada, até se dava um desconto, mas ocorre que não é, é uma política culta, preparada, foi vereadora, prefeita, por isso é imperdoável que venha se caracterizando para jornalistas que cobrem a Aleac, como a dona de um dos discursos mais enervantes da Casa. Consegue misturar dez assuntos em poucos minutos e não dá foco em nenhum. Assim é melhor ficar calada. Ganharia mais.
Começaram as cobrançasEstive em Brasiléia e pelo visto acabou a lua de mel da deputada Leila Galvão (PT) e os moradores da cidade, que só vêm palavras, promessas e nenhum ato concreto dela para ajudar as famílias desabrigadas pela última cheia do Rio Acre. Na política, nem tudo são flores.
O tempo mostrou quem mentiaMárcio Bittar (PSDB) e Tião Bocalon (DEM) passaram toda a campanha tendo como bandeira que o governador Tião Viana não daria continuidade à Cidade do Povo, hoje uma realidade, com praças de esportes, UPA, Delegacia de Polícia, mercado público, escolas, água tratada, enfim, uma bela realidade para quem antes morava em áreas alagadiças. Ontem, Tião Viana entregou mais de 240 casas. O tempo mostrou quem estava mentindo nesta história.
Não pode falar nadaLeio o prefeito de Cruzeiro do Sul, Vagner Sales, criticando o prefeito da Capital, Marcus Alexandre, por buracos na cidade. Aí está uma crítica que o Vagner não podia fazer, tal como a Capital, Cruzeiro está castigada por buracos. Com uma diferença: na última pesquisa bancada pela oposição, Vagner Sales aparece em baixa popular e o Marcus Alexandre ainda em alta.
Tacacá quente na caraQuem for à Sena Madureira favor não convidar para o mesmo tacacá o prefeito Mano Rufino e o ex-prefeito Nilson Areal, de aliados viraram inimigos políticos. Se convidarem vai ter tacacá fervendo na cara do outro.
Não esperem este desfechoA experiência me ensinou em não crer em rompantes. Por isso não dei nenhum destaque que deputados de partidos nanicos poderiam assinar a CPI da BR-364. Isso é tão improvável como eu ser convocado para a seleção brasileira pelo treinador Dunga.
Até porque não se mandaO prefeito de Tarauacá, Rodrigo Damasceno (PT), diz que não sabe se será candidato à reeleição no próximo ano. Claro que ele não sabe: quem pensa por ele é o tio Raimundinho Damasceno, que dá as cartas do que deve ou não deve ser feito na Prefeitura.
Não tem bandalheiraSe for colocado na balança o prefeito de Manuel Urbano, Ale Anute, por certo estará entre os dois piores prefeitos do Acre. A cidade parece que foi atingida por um terremoto, abandonada. Mas, num quesito o prefeito Ale tem algo a favor: na sua administração não teve bandalheira.
Candidata a deputada federalPerpétua Almeida (PCdoB) deve voltar em 2018, como candidata à Câmara Federal. Perpétua foi sim uma das melhores parlamentares federais do Acre na legislatura passada.
Situação difícilO prefeito de Assis Brasil, Betinho (PSDB), está numa situação política deplorável. O próprio presidente do seu partido, deputado federal Werles Rocha (PSDB), não o quer disputando a reeleição, tal é o tamanho do seu desgaste junto à população.
Em pauta na terça-feiraDeve entrar na pauta de votação da próxima terça-feira o Projeto de Resolução do deputado Nelson Sales (PV), que acaba com a farra de sessões solenes nos dias de sessões ordinárias. Vinha se tornando um abuso, só nesta semana aconteceram três sessões para troca de elogios.
Está sendo usadoAlguém precisa chegar ao prefeito de Brasiléia, Everaldo Gomes (PMDB), e lhe dizer que está sendo usado, que não vai conseguir estes 50 milhões de reais para recuperar Brasiléia. Nem o Marcus Alexandre, com toda força do PT consegue. Principalmente nestes tempos de vacas magras. É também uma ingenuidade crer que o 7º BEC tem verba para ajudar a cidade.
Uvas verdesDepois de ter levado uma bruta rasteira política da deputada Jésica Sales (PMDB), que indicou o novo dirigente do Ministério da Pesca, no Acre, o PRB agora diz que não faz caso. Como na fábula, as uvas que eram maduras, de uma hora para outra viraram verdes.
Vem piracemaPosso adiantar que está a caminho uma piracema que não é de peixes, mas o desfecho das investigações sobre o derrame de carteiras falsas de pescadores, distribuídas na última campanha. Teve gente que não distingue uma malhadeira de uma tarrafa que virou pescador em troca de votos.

Por: Luis Carlos Moreira Jorge