sábado, 30 de maio de 2015

Sem leito em Hospital do Juruá mulher volta para casa com filha deficiente

Após a funcionária pública Neli Vieira procurar atendimento médico no Hospital do Juruá para filha Ingrid Silva Alexandrina, de 22 anos, que sofre de paralisia cerebral e estava com inicio de pneumonia, o médico determinou que a menina deveria ficar internada, mas segundo a mãe a criança teve que ficar desde às 8 horas da noite até às 4h da manhã sentada na cadeira de rodas no corredor devido a falta de leito . Neli conta que a filha não consegue dormir sentada e preferiu voltar para casa com ela medicá-la na própria residência.
“Eu conheço minha filha e ela não fica na cadeira muito tempo pois ela sofre da coluna, e começou a se enfezar. Tinha outro especial em uma cadeira também, mas a minha não fica em cadeira. Eu queria que ela tivesse ficado lá, pois tem alguns medicamentos que ela não toma via oral, lá seria bem melhor, mas não tinha condições”, falou a mãe indignada.
Ainda na tarde de quinta-feira, após a nossa reportagem procurar a Secretaria de Saude para obter uma resposta sobre o caso o problema foi resolvido. A secretaria de saúde providenciou um local no hospital do Juruá para oferecer os atendimentos adequados para jovem que já está sendo medicada e recebendo os cuidados devidos.
Por Vanisia Nery