sexta-feira, 26 de junho de 2015

A “morte política” do vereador Doda (PT) por desafiar o poder das oligarquias

                         foto: João Braz/ Blog Jordão Agora 

O vereador Rosenildo Melo “Doda” (PT), de Jordão, estar exercendo seu primeiro mandato na Câmara, contudo, praticamente pôs fim sua carreira política dentro do partido dos Trabalhadores, na cidade, por desafiar o poder das oligarquias. 

Há 22 anos, o município de Jordão foi emancipado politicamente (sendo desmembrado de Tarauacá), porém, permaneceu nas mãos dos ex-seringalistas. A cidade vive um sistema político similar ao da política do café com leite- (período político que vigorou no Brasil desde a proclamação da República em 1889 até 1930. Neste período os presidentes do País eram dos estados de São Paulo, ou, Minas Gerais. Estados produtores de café e de leite, respectivamente) -. Em 28 de abril de 1992 Jordão passou a ser município, desde esta data, as famílias Melo/Figueiredo e Farias se reservam no poder, dando continuidade do seu domínio como já fazia antes, na condição de donos dos seringais. 

Qualquer pessoa que não tenha laços sanguíneos com as duas famílias sequer tem o direito de sonhar com o cargo de prefeito da cidade, é uma afronta ao sistema: hereditário/ arrendamento da prefeitura, como se fazia nos seringais (os seringais passavam de pai para filho, ou, eram alugados), assim ocorre na prefeitura da cidade. Saí um Melo/Figueiredo e entra um Farias, e, vice-versa. 

O vereador Doda (PT), que em 2012, recebeu o apoio da secretária de Educação do Município, Nagéla Figueiredo – atual presidenta municipal do PT e almejante ao cargo de prefeita no lugar de Élson Farias (PCdoB) em 2016-, para pôr fim as chances de reeleição do também petista, Edvan da Rocha “ Mathias”, que dizia nos quatro cantos da cidade que pretendia concorrer a cargo de prefeito nas próximas eleições, indo contra os direitos hereditários da oligarquia. 

O vereador Doda (PT), durante viagem a Rio Branco, capital, expôs ao “imperador do PT” no Acre, Francisco Nepomuceno “o Carioca”, sua intensão de disputar a Prefeitura do município. Matéria publicada por este Blog com as informações do editor do Blog Fala Jordão, Kézio Araújo. Isso foi tratado como uma afronta e ingratidão pelos Figueiredos no aplicativo whatsap. 

Doda tem direito de sonhar com o cargo de prefeito do município, na qualidade de cidadão jordanense, militante do PT há dezoito anos, mas primeiramente, precisa combinar com os que se acham dono da Prefeitura, e depois com eleitor. 

Agora o que estar em jogo é seu futuro político. Mathias sabe bem como é sonhar em ser prefeito de Jordão – ficou sem mandato e depois sem emprego na Prefeitura. 

Por Leandro Matthaus