quinta-feira, 30 de julho de 2015

Gladson Cameli diz que ponte do Rio Madeira será um marco para economia do Acre

Cameli_04
O senador Gladson Cameli (PP-AC) fez durante o dia de ontem (29) a segunda visita técnica às obras da Ponte sobre o Rio Madeira, no Distrito Vista Alegre, no Abunã (RO). Ele foi conferir de perto o cronograma de execução do projeto que recebe investimentos de R$ 128 milhões do governo federal.
Recepcionado no canteiro administrativo da empresa Arteleste pelos engenheiros Cleider Razzine, (responsável pela construtora), Fernando Arantes (supervisor da obra pelo DNIT), Antônio Carlos (analista em infraestrutura pelo DNIT-AC) e Jônatas Costa (analista em infraestrutura pelo DNIT-RO) Gladson conheceu toda logística de transporte do material específico para construção da ponte.
Depois os engenheiros mostraram uma das fases mais avançada da obra, o primeiro vão da ponte, construído do lado do Distrito Vista Alegre, às margens do rio. De barco, o senador seguiu pelo Rio Madeira para inspecionar a construção das 25 fundações, fase mais difícil do projeto, pois depende do nível das águas do manancial que tem apresentado índice elevado se comparado ao mesmo período do ano passado. Mesmo com as adversidades, 16 fundações estão prontas e segundo Cleider Razzine, “tudo está dentro do cronograma” disse.
“Isso tranquiliza todos porque esta obra é importante para Rondônia e Acre, mas também para a integração definitiva do Brasil com o Pacífico. Será um marco no desenvolvimento econômico do estado” comentou o senador.
Já em solo novamente, durante coletiva para a imprensa, Gladson Cameli garantiu que vai fincar pé no canteiro de obras até que tudo esteja concluído. Ele lembrou que o início da integração do Acre com o Pacífico foi feito pelo seu tio, o ex-governador Orleir Cameli, que construiu a BR 317 até o município de Brasileia – fronteira com a Bolívia – e começou a pavimentação do trecho Rio Liberdade da BR 364 sentido Cruzeiro do Sul/Acre.
Cameli_03
“Esse sonho é do meu tio Orleir, mas é o sonho de todo o povo acreano e brasileiro. Estamos vendo aqui o último desafio desse projeto que pode mudar de vez o rumo do desenvolvimento do nosso estado, trazendo enorme esperança para a nossa juventude,” acrescentou Cameli.
Ao se referir nos empregos gerados nos canteiros visitados, o senador disse que na volta do recesso do Senado vai procurar os senadores Jorge Viana (PT-AC) e Sérgio Petecão (PSD-AC), o senador Valdir Raupp (PMDB-RO) e toda bancada federal do Acre para exigir a liberação dos recursos e evitar riscos de paralisação.
“No pico da obra serão gerados mais de 200 empregos diretos. Além de fiscal o nosso dever como legislador é garantir que o cronograma de repasses financeiros não seja desrespeitado pelo governo federal. É hora de unir todas as forças para que essa obra não pare e seja concluída dentro do prazo” destacou.
O senador voltará ao canteiro de obras entre os meses de outubro e novembro quando começará uma nova etapa na construção dos vãos da ponte. Quando estiver concluída, com as construção das cabeceiras, a extensão total será de 3,8 km.
O complexo de obras que ligará o Brasil ao Pacifico é composto ainda pela ponte sobre o rio Madeira, na BR-319, e a ponte Binacional Brasil/Bolívia sobre o rio Mamoré, vai ligar a Região Norte (brasileira) aos mercados da Bolívia, Peru, Equador, Venezuela e Colômbia, além do asiático, por meio dos portos do Peru.
Cameli_05
Por: http://www.ac24horas.com/