sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Rocha desafia Léo de Brito a apostar o mandato se a tarifa de energia baixar

A aprovação da Medida Provisória (MP) 688/2015, que transfere o risco hidrológico (falta de chuvas) na geração hidrelétrica de energia ao consumidor final e prorroga contratos das usinas ou suas concessões para compensar os prejuízos de 2015 com a geração menor, mas não traz garante praticamente nenhum benefício para o consumidor final de energia, continua gerando polêmica e troca de acusações entre os deputados da bancada federal do Acre.

Depois de divulgar uma foto do painel de votações da Câmara, mostrando que os deputados Léo de Brito (PT) e César Messias (PSB) teriam votado pela aprovação da MP, o deputado federal Major Rocha (PSDB) voltou a criticar os dois parlamentares da base de sustentação da presidente Dilma Rousseff (PT). O tucano afirma que os governistas esqueceram de justificar suas desculpas e lança um desafio ao petista que divulgou que a MP poderá baixar a tarifa de energia.

“Aproveito para perguntar ao deputado Léo de Brito se ele acredita que o consumidor vai ter alguma redução na conta de luz? Quero ver se ele realmente acredita no governo da Dilma ou é só discurso furado. Que tal uma apostinha? Será que o deputado teria coragem de apostar seu mandato em uma possível redução da conta de luz nos próximos 6 meses? Vou melhorar a proposta, que tal se a conta de luz não aumentar nos próximos 6 meses?”, desafia Rocha.

Sobre a justificativa de César Messias, que disse que votou no texto base da MP, mas não votou para aumentar a tarifa de energia, o tucano pede uma explicação mais detalhada do voto. Rocha criticou ainda o posicionamento político de Messias, destacando que o governista já fez parte do bloco oposicionista, quando fazia críticas e recebia críticas dos governos petistas, “mas que hoje é um dos maiores bajuladores do Partido dos Trabalhadores”.
“Que ele explique esse coisa maluca, dizer que somente metade dos seus votos prejudicaram os consumidores acreanos. Que na outra metade, quando ele votou com o PSDB, seu posicionamento foi bom para os consumidores. Mas para quem tem esse tipo de personalidade, que muda conforme o vento e seus interesses, não deve ter difícil explicar uma simples votação”, questiona Major Rocha.


Editoria de política de Ac24horas