terça-feira, 29 de novembro de 2016

Casado e pai de duas meninas, médico acreano vítima de acidente aéreo estava há cinco anos na Chapecoense

O médico acreano Márcio Bestene Koury, uma das vítimas do acidente aéreo com a delegação da equipe da Chapecoense, tinha 45/ anos e há cinco atuava no departamento médico do time catarinense. Formado em medicina pela Universidade Federal do Acre, Márcio Bestene se especializou em medicina desportiva em São Paulo. Também era formado em engenharia eletrônica pela Universidade de Campinas (SP).

A família do médico acreano Marcio Koury, 45 anos, confirmou a morte dele nas primeiras da manhã desta terça-feira (29).

O acidente envolvendo o avião que levava a equipe da Chapecoense tinha 81 pessoas e aconteceu na madrugada desta terça-feira na cidade de La Unión, próximo a Medellín, na Colômbia. De acordo com as autoridades colombianas 76 pessoas morreram na tragédia. Entretanto, há cinco sobreviventes, dentre estas, há jogadores do time de Chapecó, um jornalista e uma comissária de bordo.

A tragédia abalada a família Bestene e amigos. “Estamos esperando oficialmente a informação da direção da Chapecoense. A informação é a que 76 morreram e que cinco sobreviveram. A gente tá tentando raciocinar um pouco ainda se vai pra Chapecó ou se vem pra cá. A gente sabe que demanda tempo também porque tem as questões internacionais, envolve o Itamaraty”, disse na manhã desta terça-feira, 29, José Bestene, tio de Márcio. Ele é filho da professora universitária Nabiha Bestene. Era casado com Graciela com que tinha duas filhas, uma de 10 e outra de seis anos.

Por: Luciano Tavares