segunda-feira, 21 de novembro de 2016

O choro é livre: acreano Francimar Bodão é derrotado no UFC e fala em golpe desleal de adversário inglês

O UFC São Paulo, que aconteceu neste sábado, começou de forma polêmica. A derrota de Francimar Bodão para Darren Stewart por nocaute técnico a 1m34s do primeiro round teve como destaque um golpe ilegal do inglês no brasileiro. Stewart acertou uma cabeçada involuntária no rosto de Bodão ao encurtar a distância e levá-lo para a grade, e o meio-pesado reclamou muito do golpe. O árbitro não interrompeu, e o inglês colocou Francimar para baixo e terminou o serviço no ground and pound. O lance foi analisado pelos jurados através do replay instantâneo, mas, como os mesmos não viram problema, o resultado se manteve.

Momento em que Francimar Bodão acusa cabeçada de Darren Stewart no UFC São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

Segundo apurou o canal Combate, os juízes julgaram a cabeçada como não intencional e acreditaram que a intensidade do golpe não foi determinante para o resultado final da luta.

Ao ser entrevistado em cima do octógono, Stewart admitiu ter dado uma cabeçada, mas disse que o golpe foi involuntário.

– Ele é um cara duro. Ele disse que eu dei uma cabeçada nele, mas se eu fiz, não foi intencional. Todos que me conhecem sabem que nunca fiz isso nas minhas lutas. Mas se eu tivesse dado uma cabeçada nele, ele teria caído imediatamente. Mas ele continuou na luta e procurou alguns golpes. De qualquer forma, só quero agradecer ao Brasil por ter me recebido – defendeu-se Darren.

Francimar Bodão perdeu por nocaute técnico para Darren Stewart (Foto: Marcos Ribolli)

Indignado, Bodão disse que o movimento do inglês foi intencional e afirmou que os jurados erraram no julgamento.

– Foi desleal. Eu tenho mais de 40 lutas na carreira e nunca dei uma cabeçada em nenhum adversário. Todo mundo viu que ele me deu uma cabeçada. Na hora, eu fiquei um pouco grogue e olhei pro juiz para que ele interrompesse a luta. Eu acho isso muito injusto, estou muito indignado – disse o brasileiro.
Da redação ac24horas