terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

No AM, suspeito de matar homem que arrancou parte de sua orelha é preso

Homem foi levado para o 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP) (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)

Segundo a polícia, o suspeito teria agido por vingança. Ele foi preso com droga e arma dentro de apartamento.

Um comerciante, de 41 anos, foi preso na madrugada desta terça-feira (14), em Manaus, suspeito de matar a tiros outro homem, de 40 anos, com quem teria tido uma briga. O assassinato ocorreu no dia 11 deste mês no Conjunto Boas Novas, Cidade Nova, na Zona Norte. Segundo a polícia, o suspeito teria agido por vingança após ter parte da orelha arrancada.

De acordo com as investigações, a vítima e suspeito estariam bebendo em um bar quando ocorreu uma discussão entre eles. O homem morto pelo comerciante teria arrancado um pedaço da orelha do suspeito durante a briga, fato que teria motivado a vingança.
saiba mais

Ainda segundo a polícia, o comerciante teria chamado dois comparsas para se vingar. O trio entrou na casa do industriário e efetuou oito disparos que atingiram o corpo e cabeça da vítima. Os outros dois suspeitos fugiram do local e, até o momento, não foram encontrados.

A prisão do comerciante ocorreu após policiais da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) receberem uma denúncia. Ele foi preso na casa onde morava. Um filho dele, de 17 anos, foi apreendido no local.

Após ser detido, segundo a polícia, o comerciante confessou o assassinado e entregou a arma utilizada no crime: uma pistola com 4 munições intactas.

A Polícia Militar informou, ainda, que fez revista no apartamento do suspeito e encontrou porção se substância supostamente entorpecente, além de duas balanças e material para embalagem de droga.

O comerciante e o filho foram encaminhados para o 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP). O adolescente foi liberado em seguida. O pai foi indiciado por porte de arma de fogo e tráfico. Ele será encaminhado à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde deverá ser ouvido sobre o assassinato.

O delegado plantonista Rafael Campos informou que, em depoimento, o comerciante não quis dar detalhes sobre as acusações e disse que falará somente em juízo.

Do G1 AM