quinta-feira, 2 de março de 2017

Sindicato denuncia falta de médicos em hospital no interior do Acre

Sintesac denunciou falta de médico no Hospital Doutor Ary Rodrigues, no município de Senador Guiomard (Foto: Divulgação/Sintesac)
Sesacre informou que ainda não foi notificada de denúncias. Sem médico, pacientes são atendidos por enfermeiros, afirma Sintesac.

O Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac) denunciou a falta de médicos no Hospital Doutor Ary Rodrigues, no município de Senador Guiomard, distante 24 km de Rio Branco. O problema foi detectado após uma vistoria feita pela diretoria do Sintesac-AC no dia 24 de fevereiro.

O sindicato disse que procurou a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre) para notificar o órgão da situação de Senador Guiomard. Porém, a Sesacre informou que ainda não foi notificada da denúncia.

O presidente do sindicato, Adailton Cruz, diz que devido à falta de um clínico os pacientes são atendidos por enfermeiros e encaminhados diretamente para Rio Branco.

Porém, há uma única ambulância no hospital do município e no surgimento de outra emergência o paciente fica sem atendimento até que a viatura retorne da capital.

"A situação é muito complicada. Os servidores ficam sobrecarregados e a população sem atendimento por vários dias. A direção diz que não tem médico para cobrir a escala e nem substituto", explica Cruz.

Outro problema, segundo o presidente do sindicato, é que bioquímicos, técnicos em enfermagem e agentes administrativos que estão na lista de funcionários com contratos vencidos foram demitidos pela unidade antes da conclusão do processo administrativo. "Esses profissionais foram retirados da escala e o transtorno é imenso. O atendimento fica prejudicado", lamenta.

Sindmed-AC deve apurar denúncias
O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) informou que deve agendar uma visita no hospital de Senador Guiomard para apurar as denúncias. De acordo com o Guilherme Pulici, 1º secretário do sindicato, o problema de falta de profissionais também ocorre em outras unidades de saúde no interior do estado.

"O profissional que fica de plantão fica sobrecarregado e isso aumenta a taxa de afastamentos e de doenças desse funcionário. É um ciclo que parece não ter fim nunca. Um único médico precisa atender uma demanda que seria feita por dois a três trabalhadores. Para dar conta de toda essa demanda, o atendimento acaba sendo prejudicado. O que pedimos é que o profissional não mude o modo de atender, pois a culpa não é dele", diz.

Pulici diz que o Sindmed-AC também buscou a Sesacre para agilizar a contratação dos profissionais aprovados em concurso. No último dia 24 de janeiro, a Saúde convocou mais de 150 profissionais aprovados em 2014.

Na lista de convocados, estão 15 médicos, 70 enfermeiros, dois técnicos de laboratório e análise clínica, 13 cirurgiões, 15 motoristas de ambulância, três biomédicos e 36 agentes administrativos. A Sesacre disse que a convocação deve suprir o déficit causado pelas demissões de funcionários temporários. Ao todo, 380 servidores públicos com contratos vencidos devem ser exonerados.

Apesar das convocações, Pulici afirma que o número ainda é pequeno e que o sindicato espera que todos os aprovados sejam nomeados. "Quem mais sofre com esse déficit é a população e os profissionais ficam trabalhando sobrecarregados, naturalmente", lamenta.

Por: Quésia Melo Do G1 AC