segunda-feira, 26 de junho de 2017

Em Rio Branco operadores da ETA denunciam invasões e ameaças de envenenamento na água distribuída pelo DEPASA

Sucessivas invasões a área da Estação de Tratamento de Água, a ETA/Sobral, em Rio Branco, instalaram uma onda de insegurança em operadores e vigilantes que prestam serviços no local. Nas últimas semanas, bandidos invadiram duas vezes a estação e numa delas, espancaram um operador e roubaram uma motocicleta.

Na última terça feira (20), o caso se repetiu, mas as pessoas de serviço no prédio, se trancaram em um sala, e graças a uma barricada na porta, conseguiram evitar que fossem alcançadas pelos criminosos.

Operadores do DEPASA, que prestam serviço na ETA/Sobral, denunciaram a reportagem que ficam expostos a ação dos criminosos porque os vigilantes da empresa responsável pela segurança não possuem arma. Sem segurança, operadores e vigilantes vem se tornando alvos fáceis dos bandidos.

¨No início do mês entraram na estação ali da terceira ponte. Amarraram o vigilante e espancaram o operador até ele entregar a chave da moto. Ele apanhou tanto que está afastado com problemas neurológicos. Nós vamos parar a operação e a cidade inteira vai ficar sem água se não derem condições de segurança pra gente trabalhar¨, disse um operador da ETA/Sobral, que por motivos óbvios não será identificado.
Ameaça de envenenamento

Outra situação não menos preocupante foi levantada pelos operadores. Eles temem que os criminosos, irritados pelo fato de não conseguirem roubar as motos dos trabalhadores, alvo principal das investidas, possam jogar veneno na água dos reservatórios que ficam abertos.

¨A gente não sabe do que esse pessoal é capaz. Na quarta feira, quando vieram aqui, eram quatro homens e uma mulher, a gente viu eles chegando. Nos trancamos em uma sala e fizemos uma barricada. Eles forçaram a porta, mas desistiram e ficaram rodando aqui dentro. Se eles jogarem veneno na água que vai ser distribuída, como a gente vai saber? É um risco muito grande e ninguém quer mais ficar aqui no período da noite¨, desabafou.
Superintendente reconhece falta de segurança mais nega sucateamento

O Superintendente do DEPASA em Rio Branco, Miguel Félix, se pronunciou em relação as denúncias feitas por operadores na ETA/SObral.

Félix reconheceu que os trabalhadores convivem com a falta de segurança no local, mas tentou amenizar a situação afirmando que esse problema não é exclusivo da categoria.

¨ Em todo lugar falta de segurança, não é mesmo? Até quem vivem em verdadeiras fortalezas está sujeito a ação de criminosos¨,comparou.

O superintendente negou porém que os equipamentos da estação estejam sucateados e se disse surpreso pela forma como o problema foi colocado.

¨ Me surpreende a forma como colocaram essa situação, porque nunca faltou diálogo com eles. Eles não ajudam em nada, e agora tentam causar esse situação. Apesar da ETA ser um prédio antigo, os equipamentos estão em situação de uso, inclusive aumentamos nossa capacidade de distribuição. Estou agora aqui no comando da polícia militar para tratar essa situação da segurança e a irei lá na ETA para me reunir com eles¨, garantiu.
Por: Jairo Barbosa