sexta-feira, 30 de junho de 2017

Filho de pedreiro que morreu após cair de quase 10 metros diz que viu vídeo do acidente: 'não acreditei'

Antônio da Silva morreu após acidente em obra na quarta (29). Pedreiro era pai de oito filhos e pagava pensão para duas filhas que moram com madrasta.
Vídeo mostra momento em que pedreiro cai de obra e morre no interior do Acre

A família do pedreiro Antônio Carlos Alves da Silva, de 52 anos, que morreu após cair de uma altura de quase dez metros, afirma que ainda está em choque e não consegue acreditar no que aconteceu. O filho de Silva, Antônio Avelino de Oliveira, de 29 anos, conta que o pai deixou oito filhos entre 12 e 32 anos de idade. O pedreiro também pagava pensão para duas filhas menores de idade que moram com a madrasta.

O acidente que causou a morte de Silva ocorreu na quarta-feira (28), na Rua Gerenalíssimo Deodoro, no Centro de Tarauacá, município no interior do Acre. O enterro do pedreiro ocorreu na tarde desta quinta (29).

Ao G1, a Polícia Militar informou que o pedreiro não estava usando nenhum Equipamento de Proteção Individual (EPI) no momento do acidente. Um vídeo, que viralizou nas redes sociais, mostra o momento exato em que o pedreiro cai.

“Meu pai ajudava a manter essas minhas duas irmãs, agora todos nós vamos ter que recomeçar, mas ninguém sabe como. Isso foi uma fatalidade, uma coisa que ninguém espera, foi um choque. Vi as imagens que mostram meu pai quando já está caindo no chão e não acreditei”, conta.
Homem morreu após cair de obra no Acre (Foto: Reprodução)
Oliveira escolheu seguir a profissão do pai e atua como pedreiro. Ele afirma que Silva não parava até terminar o serviço e enfatiza que o pai não parou o trabalho no momento do acidente, como relatou o filho do dono da obra, Ananias Ferreira.

Ferreira relatou que o pedreiro reclamou de dores de cabeça a um outro funcionário da obra. Ao ser questionado sobre a ausência do EPI, ele informou que o local era fechado e não havia a necessidade de equipamentos. O homem disse ainda que o pedreiro saiu do local de trabalho, sentou em um outro lugar, a uns 15 metros de onde estava, e caiu na obra do vizinho.

“Ele não caiu dentro da nossa obra. Ele estava trabalhando, parou, se sentiu mal, sentou em um canto, subiu na nossa obra, e caiu no vizinho”, enfatizou.

A família, no entanto, discorda e reafirma que em nenhum momento Silva parou de trabalhar. O filho diz ainda que, por estar dentro do horário de trabalho, a responsabilidade pelo acidente é dos donos da obra.

“O que é certo é que aconteceu na obra deles. Então, a responsabilidade é deles. É quase tudo uma cobertura só e meu pai caiu no vizinho, mas meu pai estava trabalhando para eles. A família vai acompanhar o andamento, para poder sentar e definir o que vai fazer. Está tudo muito recente e vamos aguardar para ver se tudo se resolve”, finaliza.
Por Quésia Melo, G1 AC, Rio Branco