domingo, 18 de junho de 2017

Ocupantes de área pública em Tarauacá denunciam irregularidade na distribuição dos terrenos por parte da prefeitura

Imagem aérea do local na época da ocupação
Em setembro de 2016 cidadãos tarauacaenses sem moradias próprias ocuparam uma área da prefeitura no bairro esperança, bairro construído pela a administração do ex prefeito Rodrido Damasceno (PT). O bairro foi iniciado com o objetivo de ser o primeiro construído de forma planejada em Tarauacá, no entanto com a troca de prefeito o poder publico abandonou o projeto que teve uma parte ocupada.

A ocupação foi incentivada pela a atual prefeita Marilete Vitorino, na época a e então candidata a prefeita esteve no local incentivando a ocupação e garantindo que se ela se elegesse daria à devida assistência aos ocupantes. Como mostra a imagem de matéria publicada no blog de campanha da então candidata:
Imagem (Reprodução do blog de campanha de Marilete Vitorino)
Hoje os ocupantes reclamam do abandono e denunciam irregularidades, um dos ocupantes que não quis ser identificado, suspeita que a prefeita cometeu o crime de compra de votos “O que da para entender com os fatos acontecidos é que a prefeita Marilete Vitorino e seu vice Chico Batista além de enganar boa parte dos ocupantes cometeram o crime de compra de votos, pois na época vieram aqui e garantiram que se eleitos fossem dariam apoio as famílias que ocuparam as terras, infelizmente o que vemos hoje são pessoas próximas ao vice prefeito, pessoas que não participaram da ocupação e tem casas em outros locais sendo beneficiadas e construindo verdadeiras mansões dentro da ocupação” desabafa

Os ocupantes reclamam ainda da forma como a “legalização” dos terrenos estão sendo feita “inventaram de fazer um cadastramento dos ocupantes para identificarem quem realmente precisa, mas vimos que esse cadastro foi feito totalmente irregular apenas para beneficiar pessoas próximas aos governantes e seus eleitores, verifiquei que o cadastro não foi feito nem pela secretaria de promoção social, pasta responsável por da assistência as pessoas, muito menos pelo o setor de tributos da prefeitura, também não se sabe os critérios tão pouco as pessoas que estão fazendo o analise dos ocupantes, pelo visto é a própria prefeita e vice prefeito, por isso estou indo ao ministério publico fazer uma denúncia e também na câmara de vereadores, pois esse cadastro e essa análise deve ser feito por órgãos e pessoas qualificadas e com autonomia para isso” explica

Outro ocupante alega que foi informado que um senhor conhecido como Tião Lesa foi até o terreno ocupado e chamou outro cidadão e disse “fique com esse terreno para o senhor”. O ocupante reclama que já fez investimento no local e que tem os critérios sociais para ser um dos beneficiados, isso teria acontecido por perseguição política pois o mesmo foi adversário da atual gestão nas eleições de 2016. O ocupante questiona ainda se esse empresário pode fazer isso com um único terreno tendo em vista que a prefeitura está fazendo a legalização da terra?

A nossa reportagem falou com um lembro da administração passada e o mesmo nos informou que a prefeitura pagou em media de 30 parcelas de R$ 18.000,00 cada pela a terra da ocupação, nesse caso a terra seria do município e não de um empresário.

A ocupação é um verdadeiro mistério, até onde se sabe a terra teria sido comprada e pertence à prefeitura, agora a prefeitura alega que a terra pertence a um empresário. Com as denuncias as autoridades certamente farão uma investigação e esclarecerão os fatos.
Por: Alcionir Fontinele/diarioacreano