sexta-feira, 7 de julho de 2017

Em greve há 2 dias, servidores da Educação de Tarauacá analisam proposta da prefeitura

Por Caio Fulgêncio, G1 AC, Rio Branco
Greve foi deflagrada na tarde da quarta-feira (5). Professores e pessoal de apoio pedem reposição salarial, redução de carga horária e reformulação do PCCR.
Professores e outros servidores realizaram ato em frente à prefeitura na quinta-feira (6) (Foto: Carlos Lima/Arquivo pessoal)
Professores e servidores de apoio da rede municipal de Tarauacá, no interior do Acre, estão em greve há dois dias. A categoria reivindica a reposição salarial, redução da carga horária dos cargos administrativos e reformulação do Plano de Cargos Carreiras e Remuneração (PCCR). Uma assembleia nesta sexta-feira (7) analisa uma nova proposta da prefeitura.

O G1 tentou contato com a prefeitura do município Marilete Vitorino (PSD), assessoria de comunicação e ainda com a Secretaria Municipal de Educação, mas não obteve resposta até esta publicação.

Lauro Benigno, representante do movimento grevista, explica que os servidores, inicialmente, pediram a reposição de 10,67% nos salários. No entanto, a administração pública ofereceu somente 3% - percentual mantido mesmo quando a categoria reduziu o pedido para 7,5%.

“A prefeitura estava tomando algumas medidas, mexendo na gratificação dos trabalhadores, o que também gerou descontentamento. Então, foi feita uma nova contraproposta de 5% – 3% agora e os outros 2% em dezembro – e não mais adotar a retirada das gratificações. Essa proposta vai ser avaliada”, acrescenta.

Em relação à carga horária do pessoal de apoio, Benigno explica que o pedido é uma redução de 40 horas para 30 horas. Segundo o sindicalista, todas as escolas municipais estão paradas. Os 400 professores e os 200 outros funcionários estão com as atividades interrompidas.