segunda-feira, 24 de julho de 2017

Segurança recaptura detento após fuga em presídio no AC; 15 ainda estão foragidos

No sábado (22), 16 presos fugiram do Presídio Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul, por um buraco na laje.
Presos fugiram durante a madrugada em Cruzeiro do Sul (Foto: Divulgação/Iapen)

Um dos fugitivos do Presídio Manoel Neri, em Cruzeiro do Sul, foi recapturado na madrugada deste domingo (23). Os outros 15 detentos que saíram da unidade no sábado (22) continuam foragidos. As informações foram confirmadas pelo Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp-AC).

O Sisp-AC informou que o preso recapturado foi identificado por Rubenir Gomes de Azevedo, de 29 anos, que cumpre pena por latrocínio e foi condenado a 27 anos em regime fechado. Ele foi encontrado próximo à Cidade da Justiça, no município, na região da unidade prisional.
PM e agentes penitenciários fazem buscas por foragidos (Foto: Divulgação/Iapen
Para deixar a unidade, os detentos fizeram um buraco na laje e saíram pelo telhado, segundo informou a Segurança Pública. Eles fugiram por volta da 1h30 sem que os agentes penitenciários percebessem. O presídio não possui muro de proteção.

Ainda conforme o Sisp-AC, a Polícia Civil investiga que tipo de material foi usado para fazer o arrombamento da laje e corte da tela de proteção. A perícia no local da fuga deve ser concluída na segunda-feira (24). Os nomes dos envolvidos foram divulgados pelo Instituto de Administração Penitencíaria (Iapen-AC).

Os presos que fugiram, segundo o Iapen-AC, são:
Francisco Oliveira da Silva (Mamão)
Lucas da Silva Costa (Zoio)
Francisco Alisson Araújo Pinho
José Pereira de Souza Neto
Emerson Silva Chaves (Boiao)
Carlos Cassiano de Azevedo (Caboco)
José Rubens do Nascimento Alemão
Isaque Marcos do Carmo
Ronaldo de Lima Silva
Robenir Gomes de Azevedo
Francisco Robson da Silva
Jaiso de Oliveira Azevedo
Adelcivane Gomes de Azevedo
Amiraldo Félix de Negreiros
Romário Lima de Oliveira (sem foto)
Erick da Silva (sem foto)
Qualquer informação sobre os presos deve ser passada à polícia (Foto: Divulgação/Iapen)
Presídio Manoel Neri
No dia 6 de junho, os presos iniciaram um motim e tentaram invadir um pavilhão. Com isso, os pavilhões B e E ficaram destruídos e 561 presos, que eram divididos em 4 pavilhões, passaram a ocupar apenas dois.

No dia 19 de junho, a administração do Instituto de Administração Penitenciária (Iapen) informou que um muro deveria ser construído na área do banho de sol para dividir as facções rivais dentro do presídio. Além disso, o Iapen havia estipulado 30 dias para consertar os pavilhões, mas a reparação ainda não foi feita.

A situação se tornou mais grave no dia 6 de julho, quando 32 pessoas que foram pegas na operação que ocorreu no bairro Lagoa no início do mêspermaneceram presas preventivamente e foram encaminhados para o presídio. Na época, apenas uma mulher que estava grávida teve a liberdade concedida.
Por Caio Fulgêncio, G1 AC, Rio Branco