quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Com quase 7 mil procedimentos realizados, Hemocardio é homenageado na Aleac

Para celebrar o dia do cardiologista, a ALEAC ( Assembleia Legislativa do Acre) realizou uma sessão solene para homenagear os profissionais da área na manhã desta quarta-feira ( 16). A sessão foi proposta pelo deputado Jenilson Leite ( PCdoB), que é médico e membro da Comissão de saúde.A data é comemorada no dia 14 de agosto.

A sessão festiva foi realizada no Plenário da Casa com a participação de representantes da secretaria de Saúde, de profissionais de Cardiologia e de usuários da rede pública de saúde. A solenidade também homenageou a atuação da Hemocardio no Estado do Acre.

A escolha desta data para celebrar o Dia do Cardiologista foi feita pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, com o objetivo de reforçar a importância do trabalho deste profissional, além de alertar a população sobre os cuidados que devem ter com a saúde do coração. Oficialmente, o Dia do Cardiologista é celebrado desde 2007 no Brasil.

Em pronunciamento o deputado Jenilson Leite frisou que a atuação do médico-cardiologista é essencial para prevenir e combater as doenças, bem como para melhorar a qualidade de vida da população. Ele também enalteceu a atuação da Hemocardio, que segundo ele, presta um serviço de excelência no Estado do Acre desde 2011.
“Esse serviço desenvolvido pelo Hemocardio tem sido de grande utilidade para o povo acreano. O Hemocardio se instalou em 2011 e tem demonstrado ser responsável, resolutivo e ter tido muito sucesso no que faz. A gente tem na política, sempre que colocar na pauta do dia algo relacionado à área da saúde, mas de forma nenhuma podemos tornar a crítica uma máxima. O ser humano também se move pela motivação de ter um serviço prestado reconhecido”, disse o parlamentar.

Rogério Holanda, médico cardiologista, contou um pouco da história do Centro Hemodinâmico e Cardiológico de Rio Branco (Hemocardio) que foi inaugurado em 2011. Ele ressaltou que o centro já atingiu a marca de 800 cirurgias cardíacas realizadas, e que até o final do ano chegará a 1000.

“Instalamos o Hemodinâmico Cardíaco no Acre por saber da necessidade do serviço de cirurgia vascular no Estado. Fizemos o projeto e graças a Deus tivemos o total apoio do governador Tião Viana. Foi uma caminhada árdua, muito difícil, mas, graças a Deus deu certo. A implantação do Hemodinâmico foi um marco histórico para o Estado e para minha vida. Estamos batendo a marca de quase mil cirurgias cardíacas realizadas e isso nos deixa bastante orgulhosos e felizes”, enfatizou.

A diretora do Hemocardio , Regiane Holanda, uma das fundadoras do Hemocardio, disse que observando a demanda de pacientes do Acre, um grupo de cinco médicos resolveu instalar um centro de atendimento no Estado. Ela frisou que o apoio do governador Tião Viana (PT) foi fundamental para que o projeto saísse do papel e torna-se uma realidade com quase sete mil atendimentos realizados.

“Quero agradecer ao governador Tião Viana. Se ele não tivesse incentivado e acreditado, nada disso teria sido acontecido. Quando voltamos para Rio Branco, nós vimos que a realidade dos pacientes cardiopatas tem sido muito complicada. Os pacientes do acre estavam se acumulando”, relata.

Para o presidente do Conselho Regional de Medicina, doutor Virgílio Prado, a Hemocardio presta um serviço de excelência para a população acreana. “Não há condições de não termos um serviço desse no Acre, as pessoas morreriam se não fosse a atuação da Hemocardio no Estado. A implantação desse serviço foi um grande marco para o povo acreano. Graças a equipe da Hemocardio e ao serviço de excelência que eles prestam, centenas de procedimentos cardíacos puderam ser realizados. As cirurgias são feitas de maneira primorosa, são realizadas com tranquilidade por uma equipe que trabalha sempre em harmonia”, destacou.

O deputado Raimundinho da Saúde ( Podemos), presidente da comissão de saúde, também participou da solenidade.

Uma das marcas do mandato de Jenilson Leite, tem sido trazer as categorias das diversas áreas de trabalho para dentro da Casa do Povo, principalmente os trabalhadores da saúde.
Da redação ac24horas