segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Direção da Escola Rilza dá prazo de 10 dias para que a Prefeitura resolva os problemas da unidade ou as atividades serão paralisadas

Todos os pais presente aceitaram a proposta feita pela direção, Foto/Carlos Lima
A direção da Escola Rilza Daniel, reuniu na tarde da ultima sexta-feira (11) de Agosto com os pais, SINTEAC, Câmara de vereadores e alunos para tratar de assuntos referentes à estrutura física da unidade escolar localizada no Bairro da Praia com media de 1200 alunos.

 A estrutura física da Escola já estar com algumas deficiências, algumas paredes estão com rachaduras, (rachadas) além da falta de segurança para os funcionários e alunos. 

Áurea Ramos, diretora da escola, representou o sentimento da Comunidade.Já estamos no mês de agosto e além de não termos a solução de alguns problemas que existiam, surgiram outros ainda. Além das situações precárias de falta de estrutura física vivenciada pela maior escola do município agravou-se ainda mais, a questão da falta de segurança com roubos, ameaças e outros por parte da marginalidade. A quadra por falta de um vigilante está servindo como local para usuários de drogas durante a noite, onde as pessoas que utilizavam para praticar atividades esportivas durante a noite não estando indo mais. Poucos servidores para a quantidade de alunos que temos. A energia elétrica da sala do Programa Mais Educação que funciona de forma improvisada em uma casa alugada em frente à escola está com o fornecimento de energia suspenso (luz cortada). Já em outro anexo que funciona em um prédio da igreja católica ao lado da escola que atende em torno de 140 alunos divididos nos turnos de manhã e tarde, estes foram informados que a igreja já solicitou o local até o final deste mês. Estamos bastante preocupados, de mãos atadas, não sabemos, mas o que fazer, nem a quem recorrer”, informou.

Seu Antônio das Chagas Nascimento, relatou o medo que vivencia diariamente quando os seus filhos vão estudar, “Um dia desse meu filho chegou em casa com muito medo, ele disse, pai eu ouvir tiros lá da Escola, estou com muito medo”, relatou.
É inadmissível que uma escola grande como a escola Rilza Daniel passe por problemas dessa natureza, logo uma escola que em se tratando de educação é referencia na educação do município. Como Vereador e professor inclusive ex-gestor escolar, não medirei esforços em procurar resolver essa situação”, disse o presidente do Sinteac e Vereador Lauro Benigno.
O parlamentar que viveu sua infância no Bairro da Praia, Antônio Araújo, deu total apoio às medidas adotadas pela direção e pais presentes, “A tempo que eu já venho cobrando do poder publico uma atenção especial para a reforma e segurança da Escola, temos vivenciado nos últimos dias os acontecimentos com a falta de segurança, levando em risco a vida das pessoas que prestam serviços, em especial nossas crianças que estudam aqui”, finalizou.
No final da reunião ficou decidido, que no prazo de dez dias se nada for resolvido por parte do poder publico, as atividades da Escola serão paralisadas, além da paralisação será feito um movimento em frente à Escola com a presença de pais vereadores e Comunidade.
Por: Carlos Lima/Tk News