sexta-feira, 20 de outubro de 2017

ESTUDANTE DE 11 ANOS EMOCIONA AS PESSOAS AO PEDIR AJUDA PARA COLEGA DE SALA QUE "PASSA NECESSIDADES"

Nesse mais de 30 anos que atuo como radialista, já tive oportunidade de me deparar com muitas situações positivas, algumas negativas e outras impressionantes.

Quando instalamos a Rádio Comunitária Nova Era FM, há 13 anos, tínhamos na mente o projeto de uma emissora, onde o seu foco principal fosse ajudar as pessoas de nossa cidade. Do mais pobre ao mais rico. Do mais instruído ao que não teve oportunidade de estudar. E temos procurado fazer isso durante todo esse tempo.

Durante essa semana, recebi uma “cartinha” que me emocionou e emocionou a todos que tiveram oportunidade de ouvir sua leitura. Era um pedido de ajuda para uma pessoa que estava há quatro dias sem se alimentar direito simplesmente porque a família não tinha dinheiro para comprar alimentos. O que seria uma situação muito comum, se não fossem os personagens da carta.
Jailson Oliveira tem só 11 anos

PRIMEIRO PERSONAGEM:

A carta foi escrita por Jailson Oliveira, um garoto pobre de 11 anos, morador do trapiche que fica localizado no final da Rua Manoel Lourenço, no Bairro da Praia. Ele é estudante do 6º ano, do período da manhã da Escola Rosaura Mourão e sua professora é a Clícia Torres.

SEGUNDO PERSONAGEM

João Paulo Amorim, 12 anos, de uma família pobre com mais 7 irmãos, morador do trapiche do final do Beco das Altas Horas, colega de sala do Jailson. Sua mamãe dona Raimunda é desempregada e a família sobrevive com R$ 600,00 (seiscentos) reais, proveniente do Programa Bolsa Familia. Uma irmã de João já está no ensino médio e um irmão estuda no IFAC. Agora imaginem o malabarismo que dona Raimunda faz para manter crianças e adolescentes na escola, com material escolar, roupas e alimentos com apenas esse valor. O pai vive numa colônia. Estão há pouco mais de um ano na cidade.
Carta Escrita Por Jailson

A CARTA.
Jailson chegou da escola e contou para sua mamãe Dona Lúcia, que seu colega havia lhe dito que estava há 4 dias sem comida em casa. Só comia quando alguém dava. Foi aí que ele disse se não era possível a mãe dele ajudar. Então veio a ideia de mandar uma carta para o Accioly pedir ajuda pela rádio. Foi aí que escreveu a carta pedindo ajuda. Antes, porém sua mãe juntou uns alimentos e o garoto foi deixar para o colega pode se alimentar.Visita

A VISITA
Nesta quinta feira, fui pessoalmente à casa de Jaílton e de lá fomos até a casa do João Paulo. Chegando lá bati um papo com ele e com a Dona Raimunda e me certifiquei da situação difícil. A casa que moram até que é bacana, o problema mesmo é a infraestrutura. Não há móveis, a tv é muito velha e a geladeira também. A luz é puxada da casa ao lado. Não há camas e todos dormem em redes. O mais grave é a falta de alimentos. “Nesses dias a gente só comeu porque os vizinhos nos ajudaram”.

O que ainda me animou é o fato de que os filhos da dona Raimunda estão indo para a escola.

O QUE PODEMOS FAZER

Precisamos ajudar o João Paulo e sua familia.

Quem poder doar alimentos, roupas, calçados, cadernos, canetas, mochila, móveis, cama de solteiro, colchão, lençol, utensílios domésticos e o que mais puder, será muito bem vindo.

PARA O JAILTON

Acho que o Jaílson também merece ganhar pelo menos uma bicicleta pela atitude digna e solidária, especialmente, vindo de uma criança.

Por fim, uma criança pobre pedindo ajuda para outra criança mais pobre do que ela.

O mais gratificante é que a ideia do garoto partiu do interior de uma escola.

Quem puder ajudar a família do João Paulo, pode deixar sua doação na rádio comunitária pelo período da manhã. Pode também ligar para o numero de uma prima do João Paulo. 9 99920811. Pode fazer visita à família.

Quem quiser conhecer e também ajudar o Jailson liguem para sua mamãe e combine. Dona Lúcia: 999274294.

Essa poderia ser apenas mais uma das cartas que recebo diariamente, porém, o Jaílson é um exemplo que ainda nos faz acreditar nas pessoas, na solidariedade e no AMOR.

Deus abençoe a todos

Por Raimundo Accioly – Professor e Radialista